terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Relembrar é viver

Um dos maiores clássicos de brincadeiras dos anos 80, o jogo do Stop entreteve diversas gerações de crianças. Não era preciso nada de especial, bastava uma folha de papel, uma caneta e um grupo de amigos.
Depois de sabermos a letra em questão, tínhamos que escrever rapidamente a palavra começada por essa letra na categoria respectiva, até que alguém acabasse em primeiro lugar e gritasse STOP.  O jogo do Stop consistia em criarmos categorias numa folha de papel,  que podiam ser:
Países, Animais, Nomes, Cores, Flores, Objectos e Profissões e preenche-las com palavras começadas pela letra do alfabeto que tinha saído.
 Era um jogo divertido que se fazia nos intervalos da escola, ou nas tardes de Domingo com os primos.
Quem jogou?

Julgamentos

Temos uma mania extrema de querer mudar as pessoas de quem gostamos, de querer que elas sejam mais á nossa imagem e muitas vezes não respeitamos a essência do que realmente a pessoa é. Quando penso nisso, acho que o problema é sempre o mesmo, na nossa sociedade quase ninguém consegue  colocar-se no lugar do outro.
Nunca as pessoas param para pensar nos motivos que levaram aquela pessoa a ter certa decisão, ou seguir um caminho diferente do que se esta á espera.
A verdade é que não temos nada a haver com as escolhas de ninguém! Somos seres únicos, personalidades distintas e cada um tem sua história, cultura e valores. Cada um foi educado e criado de uma maneira, cada um sente a felicidade e as dores de uma determinada maneira.
Não estamos dentro das pessoas para saber o que elas estão a pensar ou sentir, muitas vezes criticamos sem saber que a pessoa está a sofrer, ou que tem algum problema. Limitamo-nos a julgar.
Devemos todos pensar que cada pessoa tem direito a fazer suas próprias escolhas, certas ou erradas, é a vida dela, as consequências, positivas ou negativas também serão dela.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O meu filme do fim de semana

O poder e o impossível.
Nome original: 6 Below
Isolado numa estação de esqui, o ex-jogador de hóquei Eric LeMarque é pego de surpresa por uma tempestade de neve. Sozinho perdido na montanha e sem comunicação, ele embarca em uma jornada de auto-conhecimento e fé enquanto luta para sobreviver.
Um filme baseado numa historia verídica. 


domingo, 10 de dezembro de 2017

Aos Domingos uma receita

Nestas tardes de Domingo em que se junta a familia e aparecem mais uns quantos para lanchar, nada melhor que umas boas pataniscas quentinhas sair:

Ingredientes:
600 g bacalhau
4 ovos
50 g farinha
1 cebola(s)
1 ramo salsa
óleo para fritar
q.b. sal
q.b. Pimenta

Preparação:
1. Depois de demolhado, coza o bacalhau.
2. De seguida escorra-o e lasque-o retirando também todas as peles e espinhas.
3. Junte os ovos com a farinha até obter um creme. Se achar necessário pode acrescentar um pouco da água onde cozeu o bacalhau.
4. Pique a cebola finamente, bem como a salsa, e junte tal creme acrescentando também o bacalhau.
5. Por fim tempere a seu gosto e frite colheradas do preparado em óleo bem quente.
6. Não se esqueça de deixar escorrer em papel absorvente para evitar o óleo em demasia.


Bom apetite e bons lanches!


 

sábado, 9 de dezembro de 2017

A minha pessoa

Como nunca tive irmãos, nunca tive que partilhar nada, nem pedir, nem emprestar. 
Emprestar ainda hoje é algo que me incomoda um pouco.
Também nunca tive ninguém com quem falar ou alguém que me compreendesse. Alguém que apenas pelo olhar saberia em que penso. Se precisar de falar. 
Também nunca achei que fosse encontrar essa pessoa. Tive amigas que poderiam estar aí perto, dessa compreensão e cumplicidade comigo, mas nunca numa essencia profunda como aquela que eu sempre esperei. 
Hoje tenho isso e muito mais. Eu não preciso falar, explicar. Basta o meu olhar, sorriso ou outra qualquer expressão corporal que ele entende isso e muito  mais.
Ele percebe tudo aquilo que eu digo mesmo quando não digo nada. Sabe o que gosto, o que não gosto, o que posso vir a gostar.
Adivinha sempre o motivo pelo qual eu amuei, mesmo quando  não me queixo, sabe as minhas preocupações, os meus medos, as minhas musicas da vida, sabe tudo sobre mim.
É a minha alma,  a minha pessoa, e é muito mais do que eu alguma vez sonhei.